Caximbau uma maravilha gastronômica do noroeste fluminense

https://sites.google.com/site/acainoagem/home/passeios/caximbau/capa%20caximbau.JPG

O cascudo ou caximbau é uma espécie típica da região do médio rio Paraíba do Sul, sendo oferecido em restaurantes tradicionais em localidades marginais do Rio Paraíba do Sul, desde Porto Velho do Cunha, Carmo-RJ até São Fidélis-RJ. Também é encontrado em restaurantes de Santo Antônio de Pádua-RJ e Aperibé-RJ cidades cortadas pelo Rio Pomba, afluente do Rio Paraíba do Sul. É oferecido em restaurantes de: Porto Velho do Cunha, Carmo-RJ, São Sebastião do Paraíba, Cantagalo-RJ; Porto Marinho, Cantagalo-RJ; Itaocara-RJ; Pirapitinga-MG, Pádua-RJ; Aperibé-RJ; Cambuci-RJ e São Fidélis-RJ. Também há notícias que o cascudo também é encontrado no Rio Muriaé e apreciado na região Itaperuna-RJ, Cataguases-MG e Muriaé-MG.

O peixe é muito apreciado pelos moradores da região, mas é pouco conhecido dos demais públicos, inclusive todo o restante fluminense. Ele tem sabor e textura únicos, sendo apreciado em moqueca “com casca ou sem casca” ou frito, acompanhado de arroz, salada e pirão.

Acredito na culinária como fonte de desenvolvimento regional e encontro no Projeto Maravilhas Gastronômicas, uma fonte real de divulgação desse peixe de características peculiares. Podemos, através do Caximbau, fomentar o turismo local mostrando as belezas naturais do seu habitat, uma paisagem ainda preservada de um rio que precisa ser conhecido e preservado.

O PEIXE

https://sites.google.com/site/acainoagem/home/passeios/caximbau/caximbau.JPG?attredirects=0


Nome Popular: Cascudo ou Caximbau

Nome Científico: Hypostomus affinis

Características: é um peixe que possui uma couraça recobrindo o seu corpo. Na verdade, são pequenas placas ósseas adaptadas à maneira de escamas, que percorrem o corpo em várias fileiras (de três a quatro), o que confere à espécie visual e sensação tátil de lixa. Seu corpo possui coloração parda com algumas manchas escuras. Sua região ventral é geralmente nua. Tem boca inferior (ventral).

Distribuição Geográfica: Bacia dos rios Paraíba do Sul, Imbé e Mucuripe.

Hábitos Alimentares: Alimentam-se raspando as superfícies de pedras, barrancos, folhas e galhos, onde encontram uma infinidade de microorganismos e pequenas algas.

Hábitos Reprodutivos: Esta espécie procura locais seguros para desovar, tais como “tocas” entre as rochas, no barranco ou em troncos ou bambus submersos, uma vez que seus ovos são pegajosos (aderentes) e não descem o rio carregados pela massa d’água. A desova não ocorre uma única vez ao ano, como ocorre com os peixes de piracema, mas sim, distribuída em partes durante um determinado período do ano. O pico de desova desta espécie ocorre entre os meses de março e abril. Cada fêmea adulta chega a liberar uma quantidade de aproximadamente 1.250 a 4.300 ovócitos (ovos antes de ocorrer fecundação).

Fonte: Guilherme Souza (Diretor Técnico do Projeto Piabanha)

projetopiabanha.blogspot.com/

 

A CAPTURA

A pesca ocorre durante todo ano. O cascudo é capturado principalmente em redes de nylon que são armadas à noite e recolhidas na manhã seguinte. Também são utilizadas tarafas para sua captura. O peixe não é pescado com anzóis, devido seus hábitos alimentares.

Os pescadores utilizam pequenas embarcações, chamadas botes, para o recolhimento das redes.

Assista: https://youtu.be/Mbslr8x4eFE


A CULINÁRIA

O cascudo é consumido em moqueca ou frito. O prato mais tradicional é a moqueca, em que o cascudo pode ser cozido “com casca ou sem casca”. Chamamos de casca a couraça que potrege a espécie. Contudo, a maneira mais aprecida é a moqueca de caximbau “sem casca” que vem acompanhado de arroz, salada e pirão.

Moqueca de Caximbau sem casca

Ingredientes

  • 6 cascudos médios limpos
  • 2 dentes de alho
  • 3 tomates picados, sem pele e sem sementes
  • 1 pitada de sal
  • ½ cebola cortada em cubinhos
  • ½ pimentão picado
  • 1 limão
  • 200g de Extrato de tomate

Modo de preparo

Tempere o caximbau com limão, alho e sal.

Em uma panela, aqueça um pouco de óleo e refogue a cebola, o alho, o pimentão e os tomates, deixando cozinhar de 10 a 15 minutos. Nesta ordem.

Tempere com sal e tampe a panela.

Coloque 500 ml de água. Até fever levemente.

Quando o molho estiver pronto, adicione o peixe inteiro, limpo e sem a "casca".

Deixe cozinhar por 20 minutos ou até a cauda do peixe começar a abrir.

Retire da moqueca 2 copos de molho para fazer o pirão.

Deixe descançar.

Pirão

Ingredientes

  • Refogue as cabeças dos caximbaus com alho
  • 1/2 cebola picadinha
  • Adicione 2 copos (200 ml) do molho da muqueca
  • 1,5 copo (200 ml) de farinha de mandioca aos poucos.
  • 1 copo (200 ml) de água ou mais conforme o interesse.

Modo de preparo

Em uma panela, despeje o molho (2 copos) do caximbau e leve ao fogo.

Acrescente aos poucos, a farinha de mandioca (1,5 copo) , mexendo até ficar na consistência desejada.

Se ficar muito grosso, adicine aos poucos mais água.

Deixe cozinhar durante uns 10 minutos.

Sirva a seguir com a Muqueca...

Arroz e Salada conforme o gosto.


Assista: https://youtu.be/HVSz_ncLL1s



Jefferson, jeffersonvfigueiredo@yahoo.com.br